quinta-feira, 15 de julho de 2010

Carne


Alguns centímetros de pura carne... músculo... veias...
Entorpece-me os pensamentos...
Sou pura... anjo...
Nesse torpor de sentimentos...
Sou minha... fera... demônio...
A carne tremula oscila teu cheiro... meu sussurro...
Sou profissional... te conheço a mim cada centímetro do nosso desejo...
Alguns centímetros de pura carne por segundos de levitação...
E Enfim desfaleço Te esqueço.


( A Eudes pela frase sugestiva...)

domingo, 11 de julho de 2010

Imagem



Silêncio...
Minha mente não cabe mais teus pensamentos.
Desespero...
Meu corpo não suporta mais tua ausência.
Imagem...
Sou toda lágrimas.

Solidão...

Sou um pássaro sem asas
Esquecida no ninho da desilusão
Volte logo preciso voar...

Dedos

Dedos que me apontam também se apontam
São profissionais os atiradores de pedras...
Mais deveriam fazer isso em frente a seus espelhos
Os estraçalhariam...
Ah não são sete! Sete anos de azar...
Atirem em mim...
Vivo meu livre arbítrio
Prudência... com... sem...
Um dedo julgador...
Três dedos retornam...
Um julgo três consciências, será?
Julgadores...
No meu livre arbítrio todos os dedos são meus
Cinco... dez... vinte!
E meu julgo depois quem sabe minha morte
O Superior me condenará?
Vida... viva!

sexta-feira, 2 de julho de 2010

O Brasil realmente perdeu!

A partida de futebol acabou...
A nossa seleção perdeu...
O Brasil chorou e eu sorri...
Desabafo...
Como podem ter chorado por causa de um jogo de futebol?
E os desabrigados das enchentes?
As chuvas continuaram a chorar por eles...
E nós?