sábado, 14 de novembro de 2009

Vomitar a Alma

Sinto lá dentro do peito
Um bolo inconstante
Que me alegra e devora
Que me entristece, sorri e chora...

Nenhum diagnóstico foi detectado
Para descobrir
Que bolo tão macio e duro me corroi...

Preciso dormir à noite...
Preciso acordar o dia...
Preciso beber à tarde...

Esse bolo sobe e desce
Pula-pula,
Ah, que agonia!

Vou por o dedo na goela e
Vomitar essa inconstância
Vou por o dedo na goela e
Vomitar a alma.

5 comentários:

  1. Eu me vi um pouquinho nesse texto, acho que todos nós um dia ou outro, parecemos querer vomitar a alma, são tantas as contradições são mistos de sentimentos e pensamentos, são tantas inseguranças,indecisões...

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito o que o texto quis passar e a forma de jogar tudo que esta encomodando.
    muito bom esta forma os sentimentos e pensamentos.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns, Andala. Textos fortes, maduros, seguros, sinceros.
    Encaminhe-os para Sandra Almeida do jornal O rebote e para Câmara Brasileira de Jovens Escritores.
    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  4. Esse é muito doido!

    Ótimo! tem dias que eu acordo com vontade de vomitar a alma também

    ResponderExcluir
  5. Quantas vezes senti a mesma vontade!

    ResponderExcluir